Esse blog é sobre a história da minha família, o meu objetivo é desvendar as origens dela através de um levantamento sistemático dos meus antepassados, locais onde nasceram e viveram e seus relacionamentos inter-familiares. Até agora sei que pertenço as seguintes famílias (nomes que por vezes são escritos de forma diferente): Ramos, Oliveira, Gordiano, Cedraz, Cunha, Carvalho, Araújo, Nunes, Almeida, Gonçalves, Senna, Sena, Sousa, Pinto, Silva, Carneiro, Ferreira, Santos, Lima, Correia, Mascarenhas, Pereira, Rodrigues, Calixto, Maya, Motta…


Alguns sobrenomes religiosos que foram usados por algumas das mulheres da minha família: Jesus, Espirito-Santo...


Caso alguém tenha alguma informação, fotos, documentos antigos relacionado a família é só entrar em contato comigo.


Além desse blog também montei uma árvore genealógica, mas essa só pode ser vista por pessoas que façam parte dela. Se você faz, e gostaria de ter acesso a ela, entre em contato comigo.

domingo, 6 de outubro de 2013

A origem dos Gordianos de Coité

 

Não sei bem o que pensar sobre esse sobrenome…

Uma vez me contaram que um padre vindo da Itália se mudou com dois sobrinhos para Coité, um desses sobrinhos teria se mudado depois e o outro ficou, dando origem aos Gordianos de Coité e região…

Mais recentemente a história que me contaram é que dois irmãos com sobrenome Gordiano, um dos quais era padre, se mudaram para a região (primeiro veio um, e esse acabou trazendo o outro irmão). Pelo que me disseram os Gordianos descendem do padre Gordiano, o irmão dele morreu sem filhos. Todos os Gordianos da Região descendem dos filhos desse padre. Me disseram que ele era padre em Riachão do Jacuípe.

Mas até agora não encontrei nenhuma informação documental sobre isso. Na verdade a documentação aponta em outra direção. As informações abaixo me foram enviadas pelo Orlando Barreto (pesquisador da região), gostaria de aproveitar para agradecer a ele pela ajuda.

Ele me informou que Mundinho de Dodone já havia contado essa história dos Gordianos pra ele, porém encontrou nenhum padre na Bahia com esse sobrenome. O primeiro que encontrou dos Gordianos de Coité foi Joaquim Gonçalves Gordiano, pai de Manoel Gonçalves Gordiano e filho de Francisco Gonçalves Pereira e Dona Josepha Maria do Espírito Santo, família que tinha muitas propriedades na região de Vargem, Aroeira, Lagoa do Meio e descendem de Fructuoso de Oliveira Maya. Eram irmãos de Joaquim: José Luiz Moreira, José Gonçalves Pastor, Manoel Gonçalves Pereira e Anna Maria de Jesus, que registraram terras herdadas dos pais.

Pessoalmente estou achando que os sobrenomes dos irmãos estão errados. Pode ser que quem escreveu o documento escreveu errado (já vi muitos erros desse tipo) - Moreira, Pastor, Pereira – ou pode ser erro na hora de coletar a informação, muitas vezes pelos documentos não estarem muito legíveis, por experiência própria sei que muitos são bem difíceis de compreender.

Abaixo está a cópia do registro das terras de Joaquim Gordiano. Este documento é de 1858 e está no Arquivo Público da Bahia. Pela constituição de 1824 Joaquim não poderia estar registrando terras se tivesse menos de 25 anos de idade, precisaria de um tutor. A (Paróquia) freguesia de Serrinha foi criada em 1838, Queimadas 1842, Riachão 1847 e Coité 1855, como nenhuma dessas era paróquia na época, não havia padre. Após a criação dessas paróquias todos os padres são conhecidos e até em Tucano e Monte Santo que são paróquias mais antigas (1795) não consta nenhum padre com sobrenome Gordiano.

Dona Josepha Maria do Espírito Santo, de quem Joaquim herdou as terras e afirma ser sua mãe, que foi casada com Francisco Gonçalves Pereira tem sua genealogia completamente delineada no livro A Família Serrinhense, de autoria do Dr. Antonio José de Araujo, que conduz ao mais remoto morador da região: Bernardo da Silva, fundador da Fazenda Tambuatá (Serrinha) (1717). O livro diz, inclusive, que Josepha descende de Fructuso de Oliveira Maia, patriarca da família Cedraz, assim como a família Amâncio.

Isso me leva a questão: De onde vê o sobrenome Gordiano. Acabei levantando as seguintes questões sobre o assunto

a) Se os irmão são Pereira, porque Joaquim era Gordiano?

a) Gordiano é um sobrenome que inventaram? Isso acontecia bastante, o Cedraz da minha família é um exemplo disso, outro exemplo no coité é o sobrenome Camões. Não existe nada na heráldica sobre Gordiano, o sobrenome mais parecido com ele é Giordani ou Giordano. Se não for inventado provavelmente o original é um desses dois, podem ter modificado a escrita (de propósito ou por erro).

b) Joaquim afirmou que Josepha, era mãe dele, mas até onde vi ele não mencionou nada sobre o pai dele. O pai dele era Francisco, marido de Josepha? Pode ser que o marido dela não fosse o pai, ela poderia ter tido ele antes de casar com esse marido. Nesse caso, ela pode ter sido casada anteriormente com um Gordiano, ou o pai dele poderia ser o padre, nesse caso os não teriam se casado.

c) Se as paróquias ainda não existiam quando Joaquim nasceu, o padre Gordiano era Padre de onde?  Pode ser que ele não fosse um padre de paróquia. Realmente acho que vou ter que ir na Arquidiocese para tentar descobrir. 

d) Qual o sobrenome da família de Josepha? Espirito Santo era um sobrenome religioso. Era comum na época que mulheres usassem um sobrenome religioso ao invés do sobrenome de família. O sobrenome da família dela poderia ser Gordiano.

e) A escritura menciona Manoel Gonçalves Gordiano como herdeiro e Josepha, esse Manoel seria o filho de Joaquim que possuia esse nome, ou o irmão de Joaquim que eu tinha aqui como Manoel Gonçalves Pereira? Será que o sobrenome dele era Gordiano e não Pereira? 

Ainda pretendo pesquisar mais essa história.... 

Escritura N 33:

“Aos 12 dias do mês de março de 1858, na Freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Coité… Joaquim Gonçalves Gordiano declara ser senhor e possuidor de uma fazenda denominada Duas Léguas em terra da fazenda Campinas de herança por falecimento se sua mãe Josefa Maria do Espirito Santo, em comum com Manoel Gonçalves Gordiano, José Gonçalves Pastor e mais outros possuidores … O mesmo declarou ser possuidor de outra parte de terras na freguesia Ferrado em terras da fazenda Bocca da Caatinga nesta freguesia está em em comum com José Gonçalves Pastor, Joaquim Angelo da Silva e mais outros possuidores a qual houve herança por falecimento de sua mãe Josefa Maria do Espirito Santo. O mesmo também declarou ser senhor e possuidor de outra parte de terra na fazenda Campinas, em comum com outros possuidores… O mesmo também declara  ser senhor e possuidor de outra fazenda denominada Morro nos limites desta freguesia de Nossa Senhora de Conceição do Coité, com uma parte da terra nas terras da fazenda Gangorra…”

image

image

image

Nenhum comentário:

Postar um comentário