Esse blog é sobre a história da minha família, o meu objetivo é desvendar as origens dela através de um levantamento sistemático dos meus antepassados, locais onde nasceram e viveram e seus relacionamentos inter-familiares. Até agora sei que pertenço as seguintes famílias (nomes que por vezes são escritos de forma diferente): Ramos, Oliveira, Gordiano, Cedraz, Cunha, Carvalho, Araújo, Nunes, Almeida, Gonçalves, Senna, Sena, Sousa, Pinto, Silva, Carneiro, Ferreira, Santos, Lima, Correia, Mascarenhas, Pereira, Rodrigues, Calixto, Maya, Motta…


Alguns sobrenomes religiosos que foram usados por algumas das mulheres da minha família: Jesus, Espirito-Santo...


Caso alguém tenha alguma informação, fotos, documentos antigos relacionado a família é só entrar em contato comigo.


Além desse blog também montei uma árvore genealógica, mas essa só pode ser vista por pessoas que façam parte dela. Se você faz, e gostaria de ter acesso a ela, entre em contato comigo.

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Familia Cedraz no Facebook

 

Tem havido bastante bate-papo no facebook sobre a história da Familia. Resolvi postar alguns comentários aqui…

Luana Oliveira A família Cedraz da nossa região (Coité, Serrinha, Jacobina, etc..) é toda descendente de Fructuoso de Oliveira Maya e Bernarda Maria da Silva (filha de Bernardo da Silva, fundador de Serrinha), mais precisamente de um dos filhos dele, o Ignácio de Oliveira Maya, que era casado com Anna Maria da Silva. Não sei quantos filhos Ignacio e Anna tiveram pois só conheço um Manoel Cedraz de Oliveira (que é meu pentavô), então não sei dizer se todos os filhos de Ignacio eram Cedraz de Oliveira ou só Manoel. Se só Manoel tinha esse sobrenome, então foi ele quem fez a troca dos sobrenomes, mas se todos os filhos de Ignacio tinham o Cedraz, ao invés do Maya, então foi o ele que resolvei trocar o nome da familia..

Luana Oliveira Jairo, essa versão está no livro A Familia de Serrinha, escrito em 1920, e também existem vários documentos (escrituras, etc) que comprovam isso.

Fernando Cedraz O tronco dos Cedraz começa por nosso antepassado Manoel Cedraz de Oliveira, (Miné) filho de Inácio de Oliveira Maya e Ana Maria da Silva , (Doninha). Miné era dono da fazenda Cedro e, por achar bonita essa denominação, passou a adotar o sobrenome "Cedraz", em vez de Maya, perpetuando-se até os dias de hoje.

Jades Cedraz Essa de Fazenda Cedro que Fernando Cedraz (acima) cita, desconfio. Sei, e também muitas outras pessoas da nossa família, que Cedraz veio da árvore Cedro.

Jairo Cedraz de Oliveira acredito que a família começou no século 19 a partir de 3 irmãos portugueses que primeiro desembarcaram em santos, em são Paulo, e depois vieram para cachoeira na bahia. um deles juntou-se com uma índia com quem casou iniciando a família cedraz.

Jairo Cedraz de Oliveira essa versão contraria outra de que a família começou em feira de Santana.

Jairo Cedraz de Oliveira os cedraz começaram em feira de Santana numa fazenda que até hoje existe. abandonaram-na. sabe-se que num formato de partilha um dos herdeiros foi para ichu e outro para mairi. dá para desenvolver a árvore genealógica mas isso envolve tempo e custos. tentei mas desisti. comecei o desenvolvimento da árvore genealógica a partir de pé de serra de riachão pois há parentescos dos cedraz com os carneiros, cedraz, rios e ferreira. há documentos inclusive no cartório de cachoeira. meu pai falava de casamento com índia e uma das filhas chamava-se isabel romana cedraz sales nome obtido pelo tio jasmo a partir de documentos de formato de partilha.

Jairo Cedraz de Oliveira até a uns 40 anos atrás a família cedraz era muito pequena e não chegava a 1000 membros.

Jairo Cedraz de Oliveira as mudanças para feira são de descendentes e são recentes a partir da década de 60. a fazenda que existia em feira é bem mais antiga, de antes de 1900, e foi abandonada e dois herdeiros tomaram rumos diferentes: ichu e mairi.

José Gonçalves Cedraz Filho Cedraz Boa tarde prima estamos chegando no inicio até quem sabe relembrar o passado eu sou Cedraz da gema não quero dizer que vocês também não são, lá em Juazeirinho distrito de Coité local que eu nasci me disseram que na igreja católica tem livro da nossa família, porem por questão particular não sei se é verdade sei só te dizer que todos são parentes: Mané Tenda Martinha (Chamados Cedraz Pretos) mas som os mesma família Levi um uma vez me disse que Jairo e ele é descendente de Antônio do Galheiro se a Fazenda Galheiro é vizinho da Fazenda Rio das Pedras, Fazenda Triunfo, Caiçara, Queimada Nova e mais algumas como é que pode então ser um só Cedraz além de Pintas Mairi, Feira, Riachão, Piritiba, Ituaçu, Queimas, Canção etc. Abraço fique com Deus

Jades Cedraz ATENÇÃO: Minha bisavó paterna ISABEL CEDRAZ DE Oliveira casou-se com Antonio Ferreira de OLIVEIRA (meu bisavô paterno). Informação passada porMaristela Cedraz Souza (neta de Donato, irmão do meu avô Bruno) Tiveram filhos: Donato, BRUNO (meu avô paterno), .... não sei ainda nomes dos outros. BRUNO CEDRAZ DE OLIVEIRA casou-se com Ana Nunes de Oliveira. Tiveram 11 filhos: Moisés, Angelino, Valdelício, Alfredo, Pedro, Edenizia, Jasmo, Laurindo, José (meu pai), Claudionor e Alzira. Confere primas Doranei Cedraz Silveira e Sica Si (que lembram de nomes melhor do que eu, rsrs) ?

Jades Cedraz Se meu pai José Cedraz de Oliveira nasceu em 1923 (Mairi-BA), faleceu com 79 anos (2002), vamos colocar que vivemos 80 anos em média, então meu avô nasceu por volta de 1843 e minha bisavó paterna em 1763, +/_. Então, a família Cedraz não começou no século 19, como citou meu irmão Jairo Cedraz de Oliveira . Foi no século 18 ou antes.

Nadja Cedraz Jades, meu avô materno, Donato Cedraz de Oliveira, casado com Inês Carneiro Rios, era irmão de seu avô -Bruno Cedraz de Oliveira. Segundo minha mãe, Lauride Cedraz de Cerqueira, casada com Artur Lino de Cerqueira, os seus tios paternos eram Bruno, Terto João, Gregório, Fortunato, Maria, Senhora, Isabel e Joana. A avó paterna se chamava Isabel, o avô ela não lembra o nome. Sobre o antecedente indígena, meu avô Donato contava que ele tinha descendência indígena por parte materna. Não se sabe o grau de antecedência, mas ele contava que a índia era brava e foi amarrada e amansada pra casar.

Maristela Cedraz Souza João filho de Izabel casado com Ofina , senhora, Joana, Maria e uma outra irmã que a minha mãe não lembra. Os filhos são ,Donato,Gregório. ,José ,João ,Bruno ,Furtunato,

Jades Cedraz Maristela Cedraz Souza então os vossos bisavós tiveram ao todo 9 filhos, 6 homens (Donato, Gregório, José, João, Bruno e Furtunato) e 3 mulheres (Joana, Maria e outra que não lembra o nome), isto prima? Isabel ou Izabel, com S ou Z?

Jairo Cedraz de Oliveira está mais parecendo que são dois ramos numa família ou duas famílias com o mesmo sobrenome.

José Gonçalves Cedraz Filho Cedraz Eu vi falar maias porem não conheci ninguém, sei porem que tinha uns motas lá perto do rio das perdas, um dia encontrei uma senhora em uma fabrica no polo chamado Maria Maia ela praticamente me entrevistou pois perguntou coisa da região e depois ela disse você é meu primo, nunca mais tive contato com ela pois larguei de trabalhar no polo

José Gonçalves Cedraz Filho Cedraz Bom dia primo, O nome do Pai era José Gonçalves Cedraz ele eRa filho de Florisvaldo Cedraz Carneiro da Fazenda Triunfo município de Conceição do Coité, minha mãe se chama Maria Eliza Gonçalves Cedraz filha de Reginaldo Cedraz da Silva (AZUL) da Fazenda Queimada Nova município de Conceição do Coité esses meus avos eram primo de primeiro grau como também eram primo de primeiro grau de Hidelbrando Cedraz (Pequeno Cedraz) avô de Arldo Cedraz.

José Gonçalves Cedraz Filho Cedraz Digo Aroldo Cedraz quanto origem da FAMILIA meus saudosos avôs me diziam que veio de Cedro que os antepassado eram da fazenda Queimadinha próximo a Ichu, também me recordo que os dois diziam ser primo de João Duval Carneiro veja assinatura do meu avô paterno, estou a disposição para conversar sobre esse assunto

José Gonçalves Cedraz Filho Cedraz Caro primo Jairo es meu comentários: quando escrevi sobre Faz Queimadinha em Ichu, porque estou me lembrando de alguns detalhes se for caso confira por favor: me falaram que eram quatro irmãos que se casaram quatro irmãs (CEDRAZ/CARNEIRO) lembro-me de três família ARISTIDE- Faz. Rio das Pedras, (Hidelbrando, Aloisio), OTAVIANO- Faz. Queimadinha (Oioi, Moneno, Otalicioi, Lili, Lolí, Reginaldo(meu Avô) Maninho, JOSÉ- Faz. Triunfo (Alvoro, Antônio, Florisvaldo(meu Avô) Carneirinho, OBS 1 Veja que só estou me referindo aos Tios e primos do sexo masculino, só meu avó paterno deve ter tido umas seis ou oito irmã. OBS 2 Que fazenda é está em Feira? pois até então eu pensava que migraram de Ichu, Coitè, Riachão, Valente, Pintadas etc para Feira como é caso da família de Clovis e Umberto, Alcione Erico etc, Abraços

10 comentários:

  1. Olá,meu nome é Angélica Cristina da Silva Cedraz,filha de Vivaldo Maia Cedraz de Oliveira e gostaria que se possível me desse o link deste grupo no facebook pois gostaria de saber mais sobre as origens da minha família.Obrigada!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    5. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    6. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  2. Olá, bom dia primos. Sou Pascoal Cedraz de Miranda Cler, neto de Bruno Cedraz de Oliveira e Ana Nunes de Oliveira, sou filho de Pedro Cedraz de Oliveira, sou de Pintadas, e me criei em Jacobina. Gostaria muito de conhecer alguns primos da família do meu vô e meu bisavô Jader Cedraz...

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Olá sou o Edvaldo casado com a Celma Nunes Oliveira filha do Miraldo Ferreira Oliveira que por sua vez é Filho de Martiniano e neto do Bruno Cedraz de Oliveira e Ana Nunes de Oliveira, também estou buscando informações sobre a genealogia da minha esposa vê se tem direito a cidadania europeia, mais pelo visto não mais, pois o cidadão português ou o casal está muito distante e as regras não permite.

    ResponderExcluir